Nunca fui bom em separar o profissional do pessoal. Minhas leituras também são assim: livros de ficção me ensinam muito sobre negócios e livros de negócios me ensinam muito sobre a vida. Especialmente de livros de expedições e aventuras reais me inspiram e são difíceis de largar. Algumas semanas atrás o Diego Gomes, da Rock Content, me convidou para fazer um post dos meus livros favoritos, para incluir no seu app 12minutos, onde ele resume livros de negócios em um formato fácil e rápido de digerir. Achei ótimo para avaliar livros que ainda não li e saber se realmente vale a pena.

Por isso, resolvi separar uma pequena lista de livros que me inspiraram muito a ser uma pessoa e profissional melhor. Vamos nessa:

Ensaio Sobre a Cegueira

Meu livro de ficção preferido. O best seller de José Saramago nos lembra que, no fundo, os instintos falam mais alto e que a organização e o senso de comunidade é essencial para não nos tornarmos a pior versão de nós mesmos. Se não cuidar da civilidade, viramos todos bichos (ou “mais bichos”). É um excelente livro para entender a necessidade de organização e que viver em sociedade só funciona se existirem certas regras e normas de bom convívio.

Fora de Série

Malcolm Gladwell conseguiu provar que ninguém realiza nada extraordinário por si só. A cultura, o ambiente e inúmeros fatores externos fazem uma enorme diferença no sucesso das pessoas e, quando aliados à prática, amplificam a chance de sucesso várias vezes. Gosto muito do caso da queda do avião da Korean Airlines que ilustra bem por que empresas com estruturas mais horizontais tendem a ser de mais alta performance que outras com relações de autoridade e submissão. Por mais duro que seja, me marcou o quanto é importante incentivar seu time a expressar suas ideias, por mais desagradáveis que sejam.

Rápido e Devagar

Os vieses cognitivos comandam nossa vida. Todos nós temos vontade de estar no controle de tudo, mas infelizmente não estamos. O livro ressalta que, muitas vezes, nossa mente não age ao nosso favor, e saber disso, é o primeiro passo para errar um pouco menos. Aprendi muito sobre minhas tomadas de decisão com esse livro e, quando terminei, passei a pensar melhor sobre as minhas próprias ideias e a repensá-las quando necessário.

Foco

Você já se sentiu incapaz de concentrar-se em algo? Este livro me fez entender o que devo fazer para me concentrar cada vez melhor e me deu dicas baseadas no funcionamento cerebral para voltar a minha atenção ao que realmente interessa. Um pouco exagerado o nível de detalhes de anatomia (para um engenheiro), mas muito bom para quem quer ser mais produtivo e acabar com os bloqueios e procrastinações do dia a dia. Continuo tentando e a esperança é a última que morre, que é o que aprendi no livro seguinte.

Endurance: a lendária expedição de Shackleton à Antártida

O maior exemplo de liderança e resiliência de que tenho conhecimento. Na era heróica, início do século XX, Shackleton e sua tripulação tentariam a última conquista que restava aos exploradores: atravessar o continente antártico a pé. Quase ao final da jornada, eles ficaram trancados no gelo por um ano e meio e o navio foi destruído. Sem comida e sem comunicação, Shackleton salvou todos, usando um pequeno barquinho a remo, com o qual eu não teria coragem de dar a volta na Ilha de Floripa. Liderou pelo exemplo e não deixou ninguém para trás. Como se não bastasse a história fascinante, o livro ainda tem uma documentação fotográfica espetacular.

No Ar Rarefeito

De certa forma, sempre gostei de me colocar em roubadas (tipo essa, em que pedalamos 500km, da Alemanha até a Itália, com nossas duas filhas de 1 e 2 anos: www.nosquatronaestrada.com.br). Por isso, leio muito sobre aventuras e esse livro foi uma lição de vida para mim quando se fala em preparo e liderança. Um time despreparado, sem planejamento e com pessoas arrogantes pode causar estragos imensos. Foi isso que aconteceu com essa missão, que almejava subir o Himalaia nos anos 90 e foi atingida por uma nevasca. Ótima lição para qualquer tipo de equipes, que me ajudou tanto na vida profissional como nas minhas viagens e aventuras.

Era dos Extremos

O século XX foi um período de vários extremismos e de enormes mudanças no mundo inteiro. Com um domínio impressionante e uma concisão impecável, Hobsbawm explica em três “eras” como foi o século XX. A primeira delas fala sobre as duas grandes guerras, crises econômicas, revolução global e a crise econômica de 1929. A segunda era traz a estabilização do capitalismo e a expansão econômica durante os anos dourados. O declínio vem na terceira era, junto com a incerteza da economia mundial. Um exemplo de livro para quem busca entender um pouco do passado e de como chegamos a onde estamos hoje, em termos políticos, financeiros e sociais. Nada mais atual em tempos de Brexit e Trump.

Lean Analytics

Muitos empreendedores tem muito ímpeto e pouco controle de suas métricas. As duas coisas não são excludentes. Este livro traz vários casos, com alguns modelos de negócios dissecados e colocados de forma bastante clara, com as principais métricas a serem acompanhadas. Livro excepcional para quem quer empreender e para quem sabe onde quer chegar, mas não sabe o que e como medir. Sou suspeito, pois adoro o tema. Acabei inclusive de escrever (traduzir) um artigo sobre a importância das métricas para startups.

Cracking The Sales Management Code

Este livro me deu os insights para entender como um funil de vendas deve funcionar. Com um método de gestão de vendas muito claro e fácil de ser compreendido, tirei daqui o material para criar o que eu acredito ser uma gestão ideal de um funil de vendas.

A Meta

Muito antes de lean startup ser escrito e virar a bíblia das startups, a mentalidade lean já era madura na indústria tradicional, encabeçada por Toyota. Goldratt, um dos pais da teoria das restrições, explica seus princípios de maneira muito simples, em forma de uma “fábula”, novamente misturando ficção com realidade.

“A velocidade de um grupo é sempre igual à velocidade do elemento mais lento”.

Linha d’Água

Aprender a velejar me rendeu várias boas analogias com o empreendedorismo e gestão de times. Amyr Klink conta neste livro como tocar um projeto audacioso, com precisão e eficácia. Aprendi muito sobre a importância de soltar as amarras na vida pessoal e profissional, além de sempre ter backups de peças essenciais. Já li todos os seus livros e este não poderia ficar de fora. Anos atrás, participei do projeto de construção de um veleiro de alumínio de 60 pés. Tinha que falar com o Amyr. Meses depois de ter enviado alguns emails explicando sobre o projeto, quando já havia desistido, um dia toca meu celular: “Oi Cristiano, aqui é o Amyr.” Pensei comigo: “Amyr, Amyr, Amyr? Conheço um Omar, mas Amyr não conheço nenhum.” Até que me deu um clique e percebi quem estava na linha. Ele ficou por uma hora ao telefone me explicando como deveria ser cada sistema do barco e todos os erros e acertos que havia cometido na construção do Paratii 2, sem querer nada em troca. Humildade do homem do mar de verdade! Amyr é das pessoas vivas que mais admiro, por seus feitos e humildade.

“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”

Bonus Tracks:

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes

Apesar do título terrível, o livro me ajudou bastante a enxergar lacunas importantes em minhas competências. Guardo comigo até hoje uma frase do livro:

“na sua vida profissional, cheque sempre o rumo. Algumas pessoas estão tão focadas na execução e em subir que, só quando chegam ao topo da escada, percebem que ela estava apoiada na parede errada”.

Stumbling On Happiness

O livro segue bastante a linha do Kahneman (Rápido e Devagar), mas com uma linguagem bem divertida e conta por que a maneira como buscamos ser mais felizes no trabalho e na vida geralmente está errada.

E você? Onde busca inspiração para sua vida pessoal e profissional? Leu algum livro (ficção ou não) recentemente que você acha que ficaria bem na minha biblioteca? Conta aí embaixo!

Post original publicado no Linkedin em 27/11/2016